Gestão

LMS: Como escolher a melhor plataforma de aprendizagem para sua empresa

Soani Vargas
Escrito por Soani Vargas em 19 de outubro de 2020

Relatórios, formatos de conteúdo (digitais e presenciais), processo de compra e mais. Tudo o que você precisa saber antes de contratar uma plataforma de aprendizagem como o LMS.

Implementar uma plataforma de aprendizagem é um projeto trabalhoso e custoso, logo, a escolha por um LMS (ou qualquer outro sistema) deve ser pensada para ser duradoura.

Sabendo disso, desenvolvi o conteúdo da Aula Aberta #05 —  presente também neste artigo. O texto vai te apresentar as vantagens do LMS e te ajudar a contratar a melhor opção para sua empresa.

Os 3 principais tipos de plataforma são: LMS, CMS e LXP. Para decidir entre elas, entenda o contexto da sua organização e conheça a finalidade de cada uma.

Saiba qual é a melhor ferramenta para… cursos on-line

Entendendo as diferenças entre LMS, CMS e LXP

O CMS (Content Management System) é um sistema para a gestão do conteúdo.

Podemos compará-lo a um grande repositório, mas com o foco na distribuição e venda de cursos — as empresas Hotmart, Eduzz e Udemy são bons exemplos de CMS.

O LXP (Learning Experience Platform), por sua vez, é voltado para a experiência do usuário.

Nesse caso, o aluno tem recomendações personalizadas a partir de seus interesses, por isso, é importante que haja também uma cultura de aprendizagem presente em todos os níveis da corporação.

Temos também o LMS (Learning Management System), uma plataforma mais focada na gestão da aprendizagem.

Na prática, isso significa que ela também hospeda conteúdos, mas seu principal objetivo é gerenciar, controlar, e entender o que aconteceu a partir do acesso dos alunos.

Quais são as vantagens do LMS no mundo corporativo?

Agora que você já conhece as principais alternativas, vamos entender um pouco mais sobre o LMS e quais são as vantagens de implementar um sistema como esse.

#1 – Acesso 24×7

A primeira delas é a possibilidade de acesso a qualquer momento.

O aluno precisa criar esse vínculo com a plataforma. Assim, sempre que tiver uma dúvida ou quiser realizar um curso, ele terá o sistema da empresa como referência para seu desenvolvimento profissional e pessoal.

Lembre-se de que pensar em desenvolver uma cultura de aprendizagem online é ir além dos cursos obrigatórios.

#2 – Padronização da Informação

Informações padronizadas são fundamentais para empresas que têm equipes em cidades, estados e até países diferentes.

Ter um LMS, permite que você distribua o mesmo conteúdo (curso on-line e outros materiais) a todas as regiões.

#3 – Saving Indireto

A plataforma de aprendizagem pode não ser a opção mais barata, mas ela te proporciona saving indireto no futuro.

Você economiza em gastos com viagens, deslocamento e hospedagem. E até ganha em produtividade da equipe, considerando que o deslocamento de instrutores, por exemplo, não será necessário.

#4 – Gestão do Conhecimento

A disponibilização de conteúdos acontece de forma estratégica e garante também a gestão do conhecimento adquirido a partir de cada treinamento.

#5 – Geração de Renda

Já pensou em vender os cursos desenvolvidos pela sua empresa? Isso pode ser uma fonte de renda.

Aqui, claro que não falo de cursos que tragam informações sensíveis da sua organização. Imagine um banco que desenvolveu um treinamento sobre economia pessoal… ele pode vender esse conteúdo e disponibilizá-lo em seu LMS, por exemplo.

#6 – Tomada de Decisão com Base em Dados

O principal diferencial do LMS é o módulo de relatórios. É a partir deles que o gerenciamento e o controle são feitos.

As informações extraídas permitem que você pare de agir por achismos e comece a tomar decisões estratégicas com base em dados/fatos.

Esses são os principais relatórios oferecidos por um sistema focado na gestão de aprendizagem:

  • Cursos Mais Acessados: saiba qual é o conhecimento mais buscado pelos alunos;

  • Taxa de Evasão por Curso/Tela:entenda o porquê há alunos desistindo do seu treinamento;
  • Segmentado: avalie o desempenho de uma equipe específica em um curso;

  • Percentual de Acerto/Erro por Questão: descubra se há erros no conteúdo ou na avaliação;

  • Avaliação de Reação:saiba se seu curso atende às expectativas do público-alvo;

  • Customizados: customize relatórios com base em suas necessidades;

4 tipos de ferramentas fundamentais em um LMS

Como vimos até aqui, implementar a plataforma certa traz vários benefícios.

As vantagens anteriores podem estar atreladas a 4 grupos de ferramentas:

Ferramentas de apoio à aprendizagem

– avaliação

– conteúdos

– repositórios

– suporte à diferentes tipos de treinamento (mobile, social, flipped, presencial, gamificação etc)

Ferramentas de comunicação

– fórum e chat

webconference

– interface amigável e moderna

– customização de acordo com o guideline corporativo

– catálogo de cursos

– notificações de novos cursos e progresso para o aluno

Ferramentas de gestão

– administração de usuários

– administração de perfis e responsabilidades

– suporte ao aluno

Ferramentas de gestão de cursos

– relatórios

– frequência e consistência de melhorias e recursos

– certificados

O fornecedor precisa te oferecer todas? Não, mas você precisa conhecer as possibilidades e avaliar quais fazem sentido para a realidade da sua empresa.

As 6 Etapas do Processo de Compra: O que avaliar antes de fechar o negócio?

Os passos a seguir vão te guiar durante a análise de fatores que impactam a decisão de compra.

#1 – Definição da Necessidade

Você já sabe quais são as ferramentas oferecidas por um LMS, agora é o momento de fazer uma lista com aquelas que são pré-requisitos para seu projeto.

Pergunte-se: Qual é o propósito estratégico do LMS na organização? Quais problemas serão solucionados por ele?

#2 – Mapeamento do Público

Saiba a quem sua plataforma vai atender, essencialmente. Isso vai definir o tipo de sistema a ser implementado, por exemplo:

  1. Se for ao“produtor de conteúdo” e os relatórios não são fundamentais, o CMS pode ser o ideal.
  • Se for ao “aluno/usuário” e você tem um orçamento alto disponível, o LXP é uma boa opção.
  • Agora, se o objetivo da sua plataforma é atender “ao gestor”, distribuir conteúdo e gerar relatórios de controle e gerenciamento a partir do acesso dos alunos, então o LMS é perfeito para sua empresa.

#3 – Identificar Restrições e Requisitos

É importante que haja um profissional com experiência — um analista de implementação — em sua equipe. Ele é quem vai te apontar os riscos, as restrições orçamentárias, o cronograma e outros detalhes sobre o projeto.

Outras áreas também precisam ser consultadas, como o T.I, que vai te apoiar em temas como restrições técnicas e de segurança da informação.

#4 – Pesquisa de Mercado e Benchmarking

Sabendo o que é necessário e o que pode ou não ser feito, agora é a hora de buscar os fornecedores, fazer pesquisas de mercado e benchmarking.

Identifique quais empresas podem te atender. Crie uma matriz com todos os pré-requisitos listados na primeira etapa vs. os fornecedores que você localizou.

Além disso, não converse apenas com as pessoas indicadas pelos fornecedores. Busque outros clientes — com desafios parecidos com os seus —   e ouça o que eles têm a dizer.

Ah! Não se esqueça de pedir um trial/período de testes e ver como a ferramenta funciona na prática.

#5 – Avaliação do LMS

Depois de testar todos os potenciais fornecedores, avalie qual LMS cumpre melhor o que sua organização precisa.

Todas as áreas envolvidas até aqui precisam participar dessa validação.

Essa é uma parte importantíssima, por isso, fiz uma lista de perguntas que vão te ajudar a escolher a melhor plataforma de aprendizagem:

– Esse LMS atende as necessidades da organização?

– Qual o diferencial de cada fornecedor?

– Quão flexível é o sistema?

– Faz integração com seus outros sistemas de gerenciamento?

– As atualizações e melhorias são frequentes?

– Qual o tempo médio de resolução de problemas?

– Qual o nível de suporte durante a implantação da plataforma?

– As tarefas são essencialmente automáticas ou manuais?

#6 – Fechando o Negócio

Decidiu? Então, você já pode fechar o negócio.

A primeira coisa a ser pensada nessa etapa é: “Quem precisa ser comunicado?”.

Em parceria com a área responsável, desenvolva um plano de comunicação interna e informe quando vai acontecer a mudança, porque ela é importante, como essa pessoa será impactada etc.

Os custos de sistemas como esses variam entre R$200 e R$100.000 — o valor de um LMS com as funções que mostramos aqui, por exemplo, é de R$50.000, no mínimo.

Como você pode ter concluído, implementar uma plataforma de aprendizagem é mesmo uma tarefa difícil e com muitos detalhes a serem considerados. Espero que eu tenha ajudado você a esclarecer suas dúvidas e a descomplicar o tema.

Gostou do artigo? Então, compartilhe com quem precisa conhecer mais sobre LMS, e assine a Newsletter para receber mais conteúdos como esse.

E aí,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política de Privacidade

Olá! Nós utilizamos cookies para melhorar a sua experiência com nossos serviços, além de personalizar a publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com este monitoramento. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.