Eu, DI

Salário do Designer Instrucional e mercado de trabalho

Soani Vargas
Escrito por Soani Vargas em 25 de março de 2020

Um pouco sobre como eu cheguei aqui…

A primeira vez que ouvi falar sobre Design Instrucional eu estava em uma sala de aula, com colegas instrutores “matando o tempo”… era um daqueles blocos de tempo de respiro entre aulas e ficamos ali no laboratório de informática, uns acessando sites de busca de emprego, outros jogando papo fora.

E eu nem imaginava que minha vida tomaria outro rumo a partir dali!

Uma colega muito ligada em práticas inovadoras de ensino-aprendizagem comentou comigo sobre um tal Design Instrucional, na hora não entendi muito bem, mas ela falou algo sobre tecnologia e educação… achei interessante e fui pesquisar.

Descobri que eu já fazia aquilo há alguns anos no treinamento presencial, obviamente sem nenhuma técnica e muito mais por feeling mesmo; decidi, então, estudar mais sobre o assunto.

Busquei um curso de extensão da PUC para entender melhor tudo aquilo e depois fiz a pós do SENAC; ainda antes de terminar, consegui uma vaga em um dos maiores players de desenvolvimento de e-learning no mercado.

O começo não foi nada fácil, saí da minha zona de conforto profissional e me aventurei em algo que não conhecia: desenvolver roteiros para cursos on-line.

E isso depois dos 30 anos! Sim, mudei totalmente o foco da minha carreira quando meus amigos da faculdade já estavam consolidando as suas.

Comecei ganhando um salário que mal dava para pagar as contas (metade ia para pagar a pós e a outra metade para pagar a escolinha do meu filho), mas valeu tanto a pena! Ali eu aprendi muito, conheci pessoas que tratavam educação a distância com seriedade e respeito.

Depois de dois anos ali, fui trabalhar em uma das maiores empresas de transporte aéreo da América Latina, onde tive a oportunidade de fazer parte de uma equipe incrível, de gente que se importa de verdade com o que faz e que faz a diferença, inclusive estabelecendo padrões para o treinamento on-line naquela indústria.

E então, após seis anos bem intensos, resolvi que era hora de compartilhar minha bagagem com mais pessoas. E aqui estou, há mais de dois anos.

Essa minha caminhada tem sido de muitas conquistas, mas não foi nada fácil começar… por isso, quero te ajudar a construir a sua história como DI.

Nesse post, quero te mostrar questões práticas e importantes como o salário de um DI e o perfil das vagas.

Vem comigo!

Salário do Designer Instrucional

Pesquisei no site da Glassdoor (antiga Love Mondays) a média salarial para o DI em diferentes lugares do país, veja:

Veja que nem sempre esses valores refletem uma média, no caso de Manaus e Fortaleza só há o registro de 1 salário.

Mercado de trabalho para Designer Instrucional

Estamos vivendo um momento particular agora em 2020 – quando escrevi esse post pela primeira vez, em 2018, o mercado estava bastante aquecido. Talvez muitas vagas sejam congeladas e processos de contratação sejam postergados em virtude da situação gerada pela epidemia do Corona Vírus.

Entretanto eu acredito fortemente que quando essa crise passar teremos um cenário de muitas oportunidades para designers instrucionais por conta das demandas reprimidas.

Trago algumas para esse post para que você tenha uma ideia das possibilidades e também das exigências do mercado.

Pesquei alguns exemplos de vagas (pesquisadas no site da Catho) e grifei tarefas importantes para que você perceba o que as empresas esperam de você:

Você, provavelmente, vai encontrar muita vaga estranha também. Para alguns recrutadores é difícil entender a diferença entre Designer Instrucional, Webdesigner, Designer de Interação e Programação. Todos esses profissionais podem fazer parte do projeto de desenvolvimento de um e-learning, e o DI é o elo entre eles.

O Designer Instrucional desenha a estratégia e esses outros profissionais participam da fase de desenvolvimento. O DI pode desenvolver? Pode sim, mas com ferramentas de autoria focadas em treinamento. Bom, mas aí já é discussão para outro post.

Mas, me diga, você se sente preparada(o) para assumir as tarefas mencionadas nas vagas acima?

E aí,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 Replies to “Salário do Designer Instrucional e mercado de trabalho”

Alana Ariadne

Gostei muito do post e me identifiquei bastante com a sua trajetória, pois estou querendo mudar o foco da minha carreira depois dos 30, tenho uma filha e sou professora (embora não seja minha formação). Conheci o DI recentemente ao pesquisar alguns assuntos relacionados ao trabalho que já faço em sala de aula, como metodologias ativas, tecnologia na educação e gamificação. Cada vez mais me interesso pela área e estou querendo fazer justamente a pós que você fez (estou em dúvida entre o Senac e o IDI). Espero ter a oportunidade de trilhar um caminho de sucesso como o seu. Obrigada pelo post!

Soani Vargas

oi Alana!
O universo do DI é realmente apaixonante, não é mesmo?
Conte comigo para trilhar o seu caminho… já ter percorrido essa jornada (que na verdade nunca acaba), pode me permitir apontar alguns atalhos para você!
Bjs e obrigada pelo comentário carinhoso!

Contrata-se Designer Instrucional | Soani Vargas

[…] E, se você chegou até aqui, recomendo esse post também:  Salário do Designer Instrucional e mercado de trabalho […]

Política de Privacidade

Olá! Nós utilizamos cookies para melhorar a sua experiência com nossos serviços, além de personalizar a publicidade e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com este monitoramento. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.